Messi está deixando um legado após quebrar o recorde de Pelé, diz o chefe “orgulhoso” Scaloni

Messi está deixando um legado após quebrar o recorde de Pelé, diz o chefe “orgulhoso” Scaloni

Lionel Messi está deixando um legado para a Argentina após ultrapassar Pelé como o maior artilheiro de todos os tempos em uma nação sul-americana, de acordo com o “orgulhoso” técnico Lionel Scaloni. O seis vezes vencedor do Ballon d’Or marcou um hat-trick na vitória por 3-0 sobre a Bolívia nas eliminatórias para a Copa do Mundo, na quinta-feira, para ultrapassar o grande brasileiro Pelé como melhor marcador da CONMEBOL. Os 79 gols de Messi pela Argentina ocorreram em 153 partidas, em comparação com 77 em 92 internacionalizações por Pelé, que detinha o recorde desde que se aposentou das seleções em 1971. É o último de uma longa lista de recordes batidos pelo ex -Barcelona estrela no clube e na seleção, e chega dois meses depois de ajudar a Argentina a vencer a Copa América. A Albiceleste desfilou o troféu – o primeiro em 28 anos – ao redor do campo do Monumental em tempo integral e um Messi emocionado desatou a chorar. Scaloni abraçou Messi em campo e mais tarde elogiou o atacante do Paris Saint-Germain por continuar a ser decisivo para seu país após sua última tripla. “Tenho orgulho de tê-lo como jogador. Messi está deixando um legado para todos os jogadores de futebol da seleção nacional ”, disse Scaloni em entrevista coletiva pós-jogo. “Messi sempre foi um jogador que fez a diferença. Antes e agora. A vitória engrandeceu tudo, e se antes já era um ídolo do povo, agora é muito mais. “Vê-los animados nos enche de alegria, mas dura até que essa janela internacional acabe, porque depois temos que continuar trabalhando. ” O “hat-trick” de Messi foi o sétimo pela Argentina, mas o primeiro em casa e ajudou a estender a invencibilidade de seu país para 22 partidas em julho de 2019. Ele é o único jogador da Argentina a ter feito vários hat-tricks no Mundial Qualificação da Copa. Os homens de Scaloni estão em segundo lugar no grupo de qualificação de 10 equipes, seis pontos atrás do Brasil, que ainda tem que enfrentar depois que o confronto de alto perfil da semana passada foi controversamente suspenso. A Argentina também derrotou a Venezuela por 3 a 1 na mesma janela internacional e Scaloni está satisfeito com o que viu na semana passada. “Acho que temos uma linha de trabalho desde o primeiro dia e crescemos”, disse ele. “Melhoramos e corrigimos coisas mesmo depois de termos vencido. “Esta equipe tem sacrifício, humildade e capacidade de desequilibrar os outros jogadores em situações um-a-um”.