Jogadores da Premier League impedidos de disputar as eliminatórias da Copa do Mundo liberados para jogar após ameaça de suspensão

Jogadores da Premier League impedidos de disputar as eliminatórias da Copa do Mundo liberados para jogar após ameaça de suspensão

Jogadores da América Central e do Sul que foram impedidos de viajar para as eliminatórias da Copa do Mundo por seus times da Premier League estarão disponíveis neste fim de semana, depois que seus países desistiram do pedido de bani-los pelas regras da FIFA. Jogadores do Brasil, México, Chile e Paraguai estão autorizados a jogar, já que suas federações nacionais concordaram na sexta-feira em dispensar uma medida que obrigaria os jogadores a ficar de fora depois que seus clubes se recusaram a liberá-los para o serviço internacional. As equipes da Premier League decidiram no mês passado impedir que jogadores de países na “lista vermelha” do COVID-19 do Reino Unido participassem das eliminatórias do Qatar 2022, citando a exigência do Reino Unido de que as pessoas que viajaram para esses países fiquem em quarentena por 10 dias após seu retorno. Houve algumas indicações na sexta-feira anterior de que os jogadores poderiam estar disponíveis, mas a palavra oficial não veio até pouco antes da meia-noite, horário de Londres. Os brasileiros agora disponíveis para seus clubes no sábado incluem Ederson e Gabriel Jesus do Manchester City, Thiago Silva do Chelsea e Fred do Manchester United. Entre jogadores de outras nações envolvidas, o Wolves pode usar o mexicano Raul Jimenez no sábado, enquanto o Newcastle terá o paraguaio Miguel Almiron disponível, e o Watford pode enfrentar o chileno Francisco Sierralta. O Liverpool ficará mais aliviado, com Alisson, Fabinho e Roberto Firmino liberados para enfrentar Raphina e Leeds no domingo. Na sexta-feira, Jurgen Klopp disse em uma entrevista coletiva que esperava que uma solução pudesse ser alcançada para o benefício de todas as partes envolvidas. “É uma situação muito difícil e muito complicada para todos os clubes, especialmente os jogadores”, disse Klopp. “Não devemos esquecer neste momento que os jogadores queriam jogar estes jogos, os clubes queriam libertar os jogadores mas não foi possível.”