Inglaterra 0-0 Escócia: Principais pontos de discussão após uma noite preguiçosa em Wembley

Inglaterra 0-0 Escócia: Principais pontos de discussão após uma noite preguiçosa em Wembley

Embora a Inglaterra possa ter aberto o confronto totalmente britânico de sexta-feira em Wembley, confiante em reservar sua vaga no Grupo D, foi uma noite sem brilho na capital para os Três Leões. Com uma exibição lenta e com os substitutos de Gareth Southgate no segundo tempo sendo examinados, os brancos tiveram que se contentar com um empate por 0-0 em casa e um desempenho que levantou muitas sobrancelhas. Sorte de ter deixado Wembley com a invencibilidade ainda intacta e vaiada por grande parte do torcedor caseiro após o empate nada inspirador na capital, de sexta-feira, demos uma olhada nos principais pontos de discussão enquanto a Inglaterra gaguejava até chegar a um ponto. Inglaterra evita uma casca de banana Com uma vitória por 1-0 quando estreou a campanha no Grupo D com uma vitória por 1-0 sobre a Croácia no fim de semana passado, muitos sentiram que a Inglaterra teria chegado à fase de eliminatórias com uma exibição de rotina em casa . No entanto, enquanto The Three Lions poderia ter visto John Stones acertar a trave logo 11 minutos após um canto de Mason Mount, a equipe de Gareth Southgate falhou drasticamente em superar a pressão inicial e, em vez disso, deixou Wembley com sorte por ter um ponto na mesa. Sem conseguir se firmar no processo depois de ver os Stones e o Mount se aproximarem na primeira fase, os Whites perceberam os mesmos problemas que enfrentaram antes do sucesso na Rússia, três anos atrás. Na verdade, o impasse de sexta-feira foi o 17º empate sem gols da Inglaterra em um grande torneio (Euro + Copa do Mundo), dois a mais do que qualquer outro time na história dessas competições. Kane desaparece novamente Dirigindo-se ao atrasado Campeonato Europeu neste verão, levantando a Chuteira de Ouro da Premier League pela terceira vez, muitos esperavam que Harry Kane participasse de um torneio semelhante que o levou ao topo das paradas de pontuação na Rússia. No entanto, de longe o jogador menos eficaz da Inglaterra quando a equipe de Southgate abriu sua campanha com uma vitória por 1 x 0 sobre a Croácia no fim de semana passado, foi mais uma noite esquecida para o atirador do Tottenham. Incapaz de tirar qualquer coisa dos três defensores escoceses e, mais uma vez, uma figura solitária no topo, o jogador de 27 anos estava constantemente sem posse de bola e só conseguiu acertar um único toque na área dos escoceses nos primeiros 45 minutos. Com seu futuro no Tottenham ainda incerto e muitos se perguntando se ele está totalmente em forma, não há dúvida de que a Inglaterra depende de sua principal fonte de ataque encontrar a forma necessária mais cedo ou mais tarde. Escócia mostra seu coração Embora o desempenho da Inglaterra e as substituições de Southgate no segundo tempo possam ter prejudicado a vitória do fim de semana de abertura contra a Croácia, a Escócia conseguiu se recuperar imediatamente da derrota por 2 a 0 nas mãos da República Tcheca em Glasgow. Apesar de ver Stones acertar a trave e Mount se aproximar no início, o lado corajoso de Steve Clarke realmente se viu crescendo na partida ao enfrentar seu antigo inimigo pela primeira vez em um grande torneio desde a Euro 1996. Embora o Tartan Army possa ter mostrado sua empolgação com o apito final, o ex-chefe do Kilmarnock viu seu lado chegar a uma distância de ataque do que teria sido uma noite famosa ao sul da fronteira. Com Stephen O’Donnell a forçar Jordan Pickford a uma excelente defesa na primeira parte e Lyndon Dykes a ter o seu remate desmarcado, a Escócia ainda tem tudo pelo que jogar ao defrontar a Croácia para o último encontro do Grupo D na próxima semana. Relatório da partida Inglaterra: Pickford (7), James (6), Stones (6,5), Mings, (6), Shaw (6), Phillips (5), Rice (5), Mount (6,5), Sterling (4), Kane (4), Foden (7) Subs: Grealish (6), Rashford (6) Escócia: Marshall (7), McTominay (7,5), Hanley (7,5), Tierney (7,5), O’Donnell (7), Gilmour (8), McGregor (7), Robertson (8), McGinn (7,5), Adams (7), Dykes (6,5) Subs: Armstrong (7), Nisbet (N / A) Metas: N / A Cartões amarelos: O ‘Donnell, McGinn Cartões vermelhos: N / A Árbitro: Antonio Miguel Mateu Lahoz